Universidade desenvolve app para estimular doação de leite materno

O aplicativo Amamente e Doe tem como objetivo apoiar a doação de leite materno e orientar as mães e potenciais doadoras no Ceará. Com isso, ajuda a propiciar melhora da qualidade de vida dos recém-nascidos prematuros internados em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) que necessitam de leite humano para sobreviver. Além da gratidão de muitas famílias, a doação de leite materno traz para a doadora a prevenção de ingurgitamento mamário (leite empedrado), estimula a produção de leite e contribui para reduzir a mortalidade infantil e neonatal.

Publicado em: O POVO | José Meudo Filho | 12.11.2017

O dispositivo está integrado ao que chamamos de tecnologia m-Health (do inglês, mobile health), que vem ganhando cada vez mais espaço no mercado por ter grande alcance na população, seja o profissional de saúde ou o paciente, com baixo custo e fácil acesso.

O aplicativo Amamente e Doe está disponível para download na plataforma Android

O aplicativo Amamente e Doe foi concebido para levar conhecimento sobre a doação de leite humano; para apoiar este ato de solidariedade e sensibilizar as mães que estão amamentando e possuem leite suficiente para alimentar seu filho e ajudar outros recém-nascidos. Lá ela vai poder esclarecer dúvidas sobre a importância do leite materno, quais os benefícios para ela e para os bebês que irão receber esse leite, o passo-a-passo de como doar, qual o Posto de Coleta ou o Banco de Leite mais próximo à sua residência e ainda poderá compartilhar o aplicativo com outras pessoas.

Além de orientações sobre como doar e como essa mãe pode realizar o processo de limpeza, extração e armazenagem do leite, em casa; o aplicativo traz informações sobre amamentação, mostrando suas vantagens para a mãe, o bebê e a família, quebra mitos e tabus que foram idealizados durante os anos, mostra quais os sinais de pega e sucção adequadas do bebê durante a amamentação, quais os sinais de fome do recém-nascido e as propriedades do leite materno. O aplicativo também contempla os direitos das mulheres trabalhadoras. E tudo é ilustrado por fotos e vídeos.

A ferramenta foi idealizada por Lúcia Virgínia, enfermeira e coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), como projeto de mestrado na Universidade Estadual do Ceará (Uece), sob a orientação da Professora doutora Veraci Oliveira; o projeto foi idealizado com parceria da professora doutora Karla Rolim, coordenadora do Mestrado Profissional em Tecnologia e Inovação em Enfermagem da Unifor. A partir desse contato, a ideia foi levada ao professor doutor Eurico Vasconcelos, coordenador do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação (Nati), da Unifor, e contou com o apoio de sua equipe composta por Ivna Lins, Clailton Jorge e Marina Gosson, alunos e bolsistas do Nati da Unifor.

O Amamente e Doe encontra-se disponível para download na plataforma Android e será levado para dentro das instituições de saúde pela enfermeira Mylena Costa, especialista em Enfermagem Pediátrica e Neonatal, aluna do Mestrado Profissional em Tecnologia e Inovação em Enfermagem, sob a orientação deKarla Rolim, para a Validação Clínica do aplicativo, com a participação de alunos do Curso de Graduação em Enfermagem da Unifor.

Uma parceria com a Secretaria da Saúde de Fortaleza já foi estabelecida, permitindo que a ferramenta seja apresentada aos profissionais da rede primária e secundária de saúde, para que assim estes possam difundi-la. O Amamente e Doe tem como objetivo facilitar a chegada desse leite aos Bancos de Leite Humano e propiciar amamentação a todos os recém-nascidos que necessitam no estado do Ceará.